Produtos Naturais / Suplementos Naturais

Portes de correio Grátis. Pedidos de Valor Superior a 30 Euros. Para Portugal.
Envio Gratuito. Para los pedidos superiores a 50 Euros. Para España.
Oferta de 5% na próxima encomenda. Recebe o cupão via email, após pagamento.
21 8223546 96 0489987
Use o cupão ESI10 DESCONTO EXTRA DE MAIS 10% NA MARCA ESI Até dia 31 de Agosto!

Alergias, prevenção e tratamentos naturais

Alergias, prevenção e tratamentos naturais

Definição

As alergias são reacções anormais do sistema imunitário como resposta a substancias que, noutras circunstancias, são inócuas.

A pedido de alguns leitores e também porque cada vez mais nos surgem pessoas com muitos casos de alergias, publicamos este artigo muito completo com informações que podem ajudar à prevenção e diminuição dos riscos de alergia.

Descrição

As alergias são uma das perturbações de saúde mais frequentes. Calcula-se que uma em cada cinco pessoas apresenta algum tipo de alergia. A alergia é o motivo isolado mais frequente de absentismo escolar e uma causa importante de perda de produtividade no local de trabalho.
A alergia é um tipo de reacção imunitária. Normalmente, o sistema imunitário responde aos corpos estranhos, como o pólen ou as bactérias, produzindo proteínas especificas denominadas anticorpos, que são capazes de se unir às moléculas identificadas (antigénios) do corpo estranho. A reacção anticorpo e antigénio desencadeia uma série de reacções destinadas a proteger o organismo da infecção. Às vezes, estas mesmas reacções são desencadeadas por substancias quotidianas inócuas. Este é o quadro conhecido como alergia, e a substancia agressora denomina-se alergénio.
Os alergénios entram no organismo por quatro vias principais: as vias respiratórias, a pele, o aparelho intestinal e o sistema circulatório.

  • Os aeroalergénicos causam espirros, secreção nasal, ardor e avermelhamento dos olhos (rinite alérgica). Os alergénios aéreos também podem afectar os pulmões provocando asma, e a conjuntiva dos olhos, originado conjuntivite.
  • Os alergénios nos alimentos podem produzir comichão e inchaço nos lábios e na garganta, dor de estômago e diarreia. Quando são absorvidos pela corrente circulatória, podem causar urticária ou reacções mais graves, que incluem um inchaço não inflamatório e recorrente da pele, das mucosas, dos órgãos e do cérebro (angioedema).
  • Em contacto com a pele, os alergénios podem produzir rubor, comichão e bolhas, o que se chama dermatite de contacto. As reacções cutâneas também podem produzir-se a partir de alergénios introduzidos através das vias respiratórias e do tracto gastrointetstinal. Este tipo de reacção conhece-se como dermatite atópica

Causas

Os imunologistas dividem as reacções alérgicas em dois tipos: reacções de hipersensibilidade imediata, que são medidas principalmente pelos mastócitos e que aparecem ao fim de poucos minutos, e reacções de hipersensibilidade retardada, mediadas pelas células T (um tipo de glóbulos brancos) e que se apresentam depois depois de horas ou dias de exposição.
Nas vias respiratórias superiores e nos olhos, as reacções de hipersensibilidade imediata causam secreção nasal, comichão e olhos avermelhados, típico das rinites alérgicas. No trato gastrointestinal, estas reacções dão lugar a uma tumefacção e irritação da parede intestinal, o que origina dor abdominal e diarreia, tipico da alergia alimentar.
Os alergénios que entram na circulação podem causar urticaria, angiodema, anafilaxia ou dermatite atópica. Os alergénicos na pele costumam provocar reacções de hpersensibilidade retardada. As células T entram em contacto com o alergénio, o que desencadeia uma resposta imunitária mais prolongada. Este tipo de resposta alérgica costuma iniciar-se vários dias após o contacto com o alergénio, e os sintomas costumam persistir durante uma semana ou mais.

Os alergénios comuns:

Os alergénios aéreos mais comuns são os seguintes:

  • Pólenes de plantas
  • Pêlos de animais
  • Partes do corpo dos ácaros domésticos (animais microspcopicos que se encontram em todas as casas)
  • Pó domestico
  • Bolores
  • Fumo de tabaco
  • Dissolventes
  • Detergentes

Os alergénios alimentares mais frequentes são os seguintes:

  • Nozes
  • Peixe, moluscos e crustáceos
  • Ovos
  • Trigo
  • Leite
  • Aditivos e conservantes alimentares

Algumas causas de de dermatite de contacto são:

  • Veneno de hera, carvalho ou sumagre
  • Ligas de niquel
  • Látex

Os insectos e os antrópodes cujas picadas e mordeduras causam alergias, são os seguintes:

  • Abelhas, vespas e tavãos
  • Mosquitos
  • Moscas
  • Sarna
  • Ácaros

Tratamentos

Rinite alérgica. As seguintes terapias podem ajudar a aliviar os sintomas das alergias aéreas:

  • A urtiga (Urtica dioica) tem propriedades anti-histaminicas e anti-inflamatórias. A dose comum é 300 mcg quatro vezes por dia.
  • O extracto de semente de uva (Vitis vinefera) tem propriedades anti-histaminicas e anti-inflamatórias. A dose habitual é de 50 mcg três vezes ao dia.
  • A éfedra (Ephedra sinicia), também denominada mahuang, tem actividade anti-inflamatória e mostrou-se eficaz para tratar as alergias. Pode-se tomar em forma de infusão três vezes por dia ou numa capsula de 12,5 a 25 mg. Não deve usar-se durante periodos muito prolongados de tempo, visto que pode aumentar a pressão arterial, causar uma aceleração da frequência cardíaca e interferir com a função da glândula supra-renal.
  • O alcaçuz (Glycyrrhiza glabra) tem uma actividade anti-inflamatória semelhante à cortisona, estimula as glândulas supra-renais e alivia os sintomas de alergia, pode tornar-se em forma de infusão ou cápsulas de 100 a 3000 mg. o seu usao a longo prazo pode produzir retenção de sódio e perda de potássio.
  • O gingko (Gingko biloba) usa-se em medicina chinesa para as pieiras e para a tosse.
  • A equinácea pode ter actividade anti-inflamatória e de reforço do sistema imunitário.
  • A escutelária-chinesa (Scutellaria baicalensis) tem actividade broncodilatadora e anti-inflamatória, para além de prevenir as reacções alérgicas. Toma-se em combinação com outras plantas.
  • O nevoleiro (Viburnum opulus) tem actividade broncodilatadora.
  • A medicina tradicional chinesa trata a rinite alérgica com diversas espécies. As combinações denominadas bu zhong yi qi wan e yu ping fen san e a Bi yan pian costuma prescrever-se para sintomas que afectam o nariz.
  • Os remédios homeopáticos hera venenosa, Apis mellifica e Nux vomica têm actividades descongestionantes e tomam-se oralmente.
  • A vitamina C tem actividade anti-histaminica e descongestinante.
  • A coenzima Q10 pode ajudar o funcionamento normal do sistema imunitário.
  • O zinco pode reforçar o sistema imunitário.
  • A N-acetilceistina pode ter actividade descongestionante.
  • Foi demonstrado que a acupunctura é tão eficaz como os farmacos anti-histamínicos para tratar a rinite alérgica. também se utiliza para ajudar a prevenir as reacções alérgicas mediante o reforço do sistema imunitário.

Reacções cutâneas

Existem diversos remédios homeopáticos, aplicados topicamente ou tomados por via oral, que podem ajudar ao tratamento da dermatite de contacto. Um emplastro feito com morugem-vulgar (Stellaria media) suaviza a pele. Um creme ou uma limpeza com maravilha (calêndula officinalis), um agente anti-séptico e anti-inflamatório natural, ajuda a curar a erupção cutânea.

Os remédios de ervas chinesas foram eficazes para o tratamento da dermatite atópica. Os remédios que se podem tomar por via oral são os seguintes:

  • Apis (Apis mellifica) para a urticária que melhora com o frio e para as picadas de abelha.
  • Ledum para as picadas de insectos.
  • Croton tiglium para as erupções por veneno de hera, carvalho ou sumagre.

Prevenção

Se forem conhecidos os alergénos que causam as reacções, a maioria das pessoas podem aprender a evitar os problemas deixando de consumir os alimentos, os fármacos e os alergénios de contacto responsáveis.
Os alergénios aéreos são muito difíceis de evitar, se bem que se possa limitar a exposição evitando-se a presença de pó e outros elementos em casa. A vitamina C pode prevenir os sintomas de alergia. O cromoglicato de sódio, pode usar-se para a sua prevenção.

Para além dos suplementos mencionados, acrescentamos as nossas sugestões:

Fonte de informação: Manual de Medicinas Complementares