Produtos Naturais

Portes de correio Grátis. Pedidos de Valor Superior a 30 Euros. Para Portugal.
Envio Gratuito. Para los pedidos superiores a 50 Euros. Para España.
Oferta de 5% na próxima encomenda. Recebe o cupão via email, após pagamento.
21 8223546 96 0489987
Use o cupão OUT05 DESCONTOS ESPECIAIS AINDA MAIS 5% na Marca NOW FOODS!!!! Até 25 de Outubro!

Falta de acidez no estômago - Hipoclorídria

Hipoclorídria, um problema de saúde relacionado com a falta de ácido no estômago

Cãibras nas pernas durante a noite

Nunca lhe acontece acordar durante a noite com cãibras nas pernas, mesmo que não tenha feito qualquer esforço físico em particular? Você tem mais de 40 anos? Já experimentou tomar magnésio, cálcio, potássio e talvez a vitamina E e as suas cãibras aliviam um pouco, sem no entanto desaparecerem?

Se este for o seu caso, pode estar a sofrer de hipoclorídria, um problema de saúde relacionado com a falta de ácido no estômago. O ácido no seu estômago é bom para si!

As paredes do estômago segregam pelo menos três litros de ácido por dia. Isto é feito através das células que revestem a parede do estômago, e são capazes de "bombear protões", isto para dizer, que para bombear iões hidrogenados do sangue, e de os trazer para o estômago. O ácido gástrico é, portanto, um concentrado de íoes hidrogenados (isto não é um curso de química, convido os leitores interessados a aprender mais sobre este fenómeno interessante, na página do Wikipedia correspondente).

O ácido estomacal é necessário para:

  • digerir as proteínas,
  • esterilizar o estômago e matar as bactérias e leveduras, que entram através da boca,
  • permitir ao estômago esvaziar-se adequadamente,
  • finalmente, um ambiente ácido é necessário para permitir a absorção de numerosos micronutrientes, tais como cálcio, magnésio, zinco, cobre, ferro, selénio, boro, etc.

Quando o ácido desaparece

O ácido tem uma tendência natural para deixar o estômago para voltar, para o sangue. Este fenómeno é normalmente bloqueado pelas células da parede intestinal, que são apertadas. No entanto, em caso de inflamação, ou por qualquer outro motivo (alergias..), o revestimento do estômago pode tornar-se poroso e o hidrogénio começa a diminuir. Então irá ter bastante ácido.

A consequência é que o alimento não é digerido correctamente. Tem uma sensação de estômago muito cheio logo após as refeições, e mesmo que tenha comido pouco. Uma gama completa de distúrbios intestinais ocorrem (distensão abdominal, diarreia, obstipação, mau hálito ...). Nas fezes são frequentemente encontrados resíduos de alimentos não digeridos.

Mas a consequência mais grave é, de não absorver todos os nutrientes contidos na sua alimentação. Deficiências podem ocorrer, causando câibras e sensação de peso nas pernas, mas não só.

Mude o seu futuro resolvendo este problema

As cãibras nocturnas podem parecer um problema benigno. Mas, na realidade, a falta de ácido no estômago, pode levar a um défice de absorção de mais de 20 nutrientes essenciais, incluindo os aminoácidos essenciais à renovação celular, excepto todos os minerais de sódio, potássio ou rubídio, todas as vitaminas, excepto vitamina B12 e vitamina B9 (ácido fólico).

Se não se preocupar com isso, então corre um alto risco de ser afectado por muitas doenças relacionadas com a desnutrição, uma das quais, a osteoporose (ossos porosos). Também arrisca uma proliferação de bactérias no estômago que pode conduzir ao cancro.

Como melhorar a acidez do estômago

A hipocloridria é causada principalmente pelo envelhecimento. Mas também pode estar relacionada à carência de zinco, que muitas vezes ocorre em pessoas que estão stressadas, o stress é um grande consumidor de zinco. O problema é agravado pelo facto de o stress reduzir as secreções digestivas.

A primeira coisa a fazer é lutar contra o stress, com os meios que preferir: andar ao ar livre, exercício suave, música, terapia de relaxamento, relaxamento, oração, yoga, etc...

De seguida, tratar da sua alimentação: tudo o que pode fazer para ajudar a sua digestão e melhorar os seus sintomas, e a sua absorção de nutrientes.

A primeira regra é comer devagar e mastigar bem os alimentos. Porque a saliva contém enzimas digestivas e a digestão começa na boca. Verifique a condição dos seus dentes a cada seis meses.

Evite beber muito durante as refeições, porque dilui as secreções gástricas. Cuidado especialmente com bebidas geladas ou muito frias, que contraem o estômago, assim como café, chá, refrigerantes e bebidas alcoólicas, que irritam.

O que comer para melhorar a acidez do estômago

Quando estes primeiros passos são dados, pode melhorar a sua situação, pela ingestão de alimentos que acidificam o estômago como o azedas secas, espinafres, ruibarbo, ameixas, laranjas, cebolas cruas. Cebolas cozinhadas, pelo contrário, possuem propriedades alcalinas (anti-ácidas). Note-se que alguns alimentos, com sabor ácido, não são ácidos nas suas constituições: é o caso - inacreditável, mas que é verdade - do limão.
Boa comida contra hipoclorídrico, em contrapartida, é o vinagre de maçã. Pode fazer o "teste" de manhã em jejum, se realmente sentir falta da acidez, algumas colheres de sopa de vinagre de maçã melhoraram os seus sintomas digestivos sem consequências nefastas, caso contrário, vão piorar um pouco mais, mas não terá consequências nefastas, o efeito irá parar assim que deixar de tomar o vinagre.

É também possível tomar doses elevadas de vitamina C (ácido ascórbico): 2 a 5 gramas. Pode tomar a sua vitamina C, juntamente com um conjunto de minerais, que reagem com a vitamina C, para formar o ácido clorídrico no estômago.

A terceira abordagem é, tomar a betaína HCL (hidrocloridrato) em comprimido, em doses entre 100 e 500 mg, dependendo do tamanho da refeição (quanto mais come, mais deve tomar!), e, claro, de acordo com a sua reacção ao tratamento.

Os complementos alimentares

Pode melhorar a situação, tomando as enzimas digestivas na forma de suplementos dietéticos. As enzimas digestivas vegetais, os melhor doseados, são aqueles que contêm muitas enzimas, tais como: lipase, amilase, sacarose, lactose, maltose, celuoase, protease.

As plantas digestivas

Há muitas plantas digestivas para consumir, tais como as que são plantas comestíveis, ou em forma de cápsulas, chás, óleos essenciais: erva-doce, funcho, aipo, anis, cominho, hortelã-pimenta, orégãos, manjericão, gengibre, lovage (Levisticum officinale). Não é à toa que nossos avós cultivavam ervas aromáticas, no seu jardim, e as adicionavam quase todas aos seus pratos. Não era só para dar um melhor sabor aos alimentos, mesmo que o uso destas ervas obviamente dêem um sabor diferente à comida.

Prébioticos e probioticos

Quando come, alimenta o seu próprio corpo, mas também alimenta os seus “hospedeiros” dos quais não tem necessariamente consciência: a sua mucosa intestinal, cujas células consomem directamente a glutamina e o butirato, e as bactérias da sua microflora intestinal.

Estas bactérias são essenciais para a sua boa saúde, que são chamadas de probióticos e completam a digestão, mas precisam de estar em forma, para se alimentarem de fibras.

Quanto melhor for a saúde da sua flora intestinal, melhor será a absorção dos nutrientes essenciais. Isso irá ajudar a reduzir ainda mais, os problemas com as cãibras nas pernas.

Possíveis ligações com a asma nas crianças

Finalmente, note que temos conhecido há décadas que a asma em crianças está associada à hipoclorídria. A asma em crianças é frequentemente causada por alergias alimentares. Se esses alimentos são mal digeridos, são ainda mais mal tolerados e mais susceptíveis de provocar alergias, e, portanto, a asma. Um estudo realizado nos anos 30, mostrou que 80% das crianças com asma tiveram hipoclorídria. Quando o estômago se expande e aumenta a produção de ácido, a asma desaparece. Para estas crianças, que absorvem mal os alimentos, ou tendem a ser muito magras. O tratamento é o mesmo tal como descrito acima.

A causa de alergia mais comum é, sem dúvida, o leite e os produtos lácteos.

Suplementos que sugerimos:

À vossa Saúde!
Texto original: Jean-Marc Dupuis - Tradução e adaptação: Eugénia Gomes